Agronegócio compreende um conjunto de atividades e operações interligadas de produção nas unidades ou empresas agrícolas, envolvendo armazenamento, processamento e distribuição desses produtos agrícolas.

A distribuição de suprimentos agrícolas é fundamental para o entendimento da dinâmica do agronegócio, sendo este relacionado às atividades e às operações antes, dentro e depois da porteira, reforçando a visão sistêmica desse importante setor da economia.

 

Portanto, o agronegócio por ser interdisciplinar, multidisciplinar e transdisciplinar, por si só vem diversificando, incorporando e correlacionando, direta e indiretamente, com vários áreas tais como: mercado financeiro e de capitais, mercado internacional, relações e políticas internacionais, turismo, meio ambiente, políticas de sustentabilidade, migrações das populações, produção animal, ecologia, agroenergia, políticas florestais, nutrição, produção alimentícia, governança e transparência pública e privada, entre outras.

 

Assim, por causa dessa percepção sistêmica e inovadora do mercado de agronegócio, torna-se cada vez mais relevante que além da contribuição das instituições governamentais e privadas na modernização e competitividade do setor agroindustrial, as instituições de ensino, pesquisa, extensão, e inovações tecnológicas são importantes (e continuam sendo) centros de excelências e estratégias para o desenvolvendo de novas metodologias e processos organizacionais capazes de contribuir para a inovação e melhorias significativas nas cadeias produtivas.

 

Portanto, é nesse contexto que o agronegócio está inserido nos desafios nacionais de desenvolvimento dos países, assim como da globalização.

A globalização, em geral, impõe desafios de modernização para o agronegócio, tais como: formação e capacitação do capital humano, geração de novas tecnologias, expansão da produção sem agredir de degradar o meio ambiente, cultivo de uma cultura de inovação, redução dos custos produtivos, desenvolver mecanismos e estruturas diferenciais de competitividade, permanência e conquista de novos mercados internacionais, melhorias e modernização dos processos produtivos, acompanhar as novas demandas dos consumidores assim como os padrões de consumo, entre outras.

 

Esses e outros desafios serão superados se as instituições e/ou organizações criarem um espaço multi-institucional de discussão mais apurada, interativa e diversificada voltada às políticas econômicas, tecnológicas e institucionais ligadas ao agronegócio. Esse espaço multi-institucional poderá ser identificado, também, por ambiente de cooperação e diálogo, onde as instituições (governamentais, privadas) de pesquisa, ensino e extensão procuram construir uma nova cultura e ambiente que permitem aos agricultores, comunidades, homens, mulheres, gestores públicos, pesquisadores, estudantes, organizações não governamentais, associações, cooperativas, empresas rurais, entre outras, desenvolverem novas formas e redes de cooperação e colaboração para conhecer e compartilhar novas experiências, novos conhecimentos e, com isso, disseminar e fortalecer o próprio ambiente multi-institucional – o Simpósio Internacional do Agronegócio da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (SIIAGR-CPLP) procura estimular e fortalecer esse espaço de cooperação e redes.

 

O Estado, as instituições de pesquisa, ensino extensão, as organizações não governamentais, as organizações e instituições agrícolas, entre outras, são indispensáveis na construção do espaço de cooperação multi-institucional e cultivar uma cultura que amplia investimentos no espaço rural visando o desenvolvimento sustentável com criação e fortalecimento da renda familiar, qualidade de vida e bem estar social.

Agronegócio: Importante Caminho para o Desenvolvimento

 Realização:

Instituto Superior Politécnico de Manica

Apoio:

Uma instituição financeira com rosto humano!

Farroupilha, Campus Júlio de Castilhos

This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now